O nome deste circuito tem uma excelente justificativa: dos vinte e três inconfidentes mineiros, nove residiram na Comarca do Rio Mortes, cuja sede era a Vila de São João del Rei. O povoamento da região começou no final do século 17 com o bandeirante Tomé Portes del Rei que, com permissão real, deu inicio à atividade de travessia do Rio das Mortes. O local ficou conhecido como Porto Real da Passagem. Esse rio era uma das inúmeras dificuldades enfrentadas pelos bandeirantes nas árduas viagens pela região das minas. Foram vários os que se afogaram ao tentar sua travessia.

Para o historiador Diogo de Vasconcelos, o responsável pela primeira descoberta de ouro nesse local foi o bandeirante João de Siqueira Afonso, por volta do ano de 1702, mudando, então, os rumos do lugar. De ponto de apoio, o local passou a ser um promissor núcleo de mineração, dando origem à Vila de São João del Rei. A descoberta influenciou toda a região que, administrativamente, tornou-se Comarca do Rio das Mortes. Importante no processo político-administrativo, a histórica rota denominada Estrada Real cortava a Comarca. Hoje, percorrer seus trechos é uma das boas opções de passeio pelo circuito.

A arte colonial mineira desenvolvida no século 18 deixou uma forte herança presente nas diversas igrejas e capelas ricas em ouro, talhas e imaginária. Duas preciosidades merecem ser contempladas: a Matriz de Nossa Senhora do Pilar, em São João del Rei, e a Matriz de Santo Antônio, em Tiradentes. Expressivos exemplares da arquitetura civil colonial também estão resguardados: sobrados, fazendas centenárias, antigas casas de câmara e cadeia, museus históricos e de arte sacra. A área da Fazenda do Pombal, onde nasceu Tiradentes, situada em Ritápolis, abriga, hoje, a Floresta Nacional de Ritápolis administrada pelo Ibama.

Em todo o circuito, são latentes as mais diversas manifestações culturais – pinturas, esculturas, música e culinária. O artesanato é de grande versatilidade e beleza, preservando a identidade e tradição de um povo que transforma o utilitário em verdadeiras obras de arte. Arreios, selas e outros artigos de montaria, feitos primorosamente à mão, são executados em Dores de Campos. Em Resende Costa, além de bordados e tapetes, são produzidas colchas, toalhas de mesa e cortinas em teares manuais. O município de Prados tem uma das maiores produções artesanais da região. São variadas esculturas de animais em madeira e peças decorativas trabalhadas com material reciclado. Um destaque é o Distrito Vitoriano Veloso, conhecido como Bichinho, pertencente ao município de Prados.

A produção de eventos culturais também é efervescente. Em janeiro, acontece a Mostra de Cinema de Tiradentes. Em julho, São João del Rei organiza um Festival de Inverno de alta qualidade. Em agosto, também em Tiradentes, é a vez do já tradicional Festival de Cultura e Gastronomia. Outras festas, como as celebrações religiosas e profanas, são habituais e atraem sempre um grande número de pessoas. Em Barbacena, a Festa das Rosas acontece na primeira semana de outubro. O Festival da Canção é realizado na cidade de Barroso em julho. Com muita devoção, Santa Cruz de Minas celebra, em janeiro, São Sebastião, o seu santo padroeiro. Não faltam também exposições agropecuárias e rodeios, já que Lagoa Dourada é o berço do jumento da raça Pêga e Entre Rios de Minas, o berço da raça Campolina.

O clima da região é muito agradável. No inverno, de maio a setembro, os visitantes são favorecidos pelo aconchego das pousadas e restaurantes. No resto do ano, eles podem se deliciar com cavalgadas e caminhadas por trilhas centenárias ou com os refrescantes banhos em cachoeiras de águas cristalinas. Um exemplo é a Cachoeira Bom Retiro em Santa Cruz de Minas. Os adeptos dos esportes de aventura também encontram opções como off-road, mountain-bike e rafting. Um dos locais mais procurados é a Serra do Lenheiro, em São João del Rei.

Todos esses atrativos, apoiados por uma boa infra-estrutura instalada principalmente em Tiradentes, São João del Rei e Barbacena, encantam os visitantes e contribuem para o desenvolvimento turístico constante dessa belíssima região de Minas Gerais.